Descubra 5 formas de alcançar a independência financeira 

independência financeira

Será que você realmente sabe o que significa independência financeira? Será que é só ter dinheiro suficiente para pagar as contas e não ter dívidas? Bom, na verdade, a definição vai muito além disso!

Isso porque, o conceito está relacionado a conseguir viver meses ou anos sem depender de um emprego. Mas como atingir esse patamar? O que precisa ser feito para transformar esse sonho em realidade?

Antes de mais nada, é fundamental ter um plano bem traçado, mudar alguns hábitos e, é claro, seguir uma estratégia. 

Colocando em prática tudo o que é realmente necessário, você certamente vai conseguir chegar lá, alcançar sua autonomia financeira e viver com tranquilidade, escolhendo quando quer e se quer continuar trabalhando.

E aí, ficou interessado sobre o assunto? Quer saber o que fazer para começar? 

Então leia as próximas linhas deste conteúdo e descubra tudo o que precisa!

O que é independência financeira?

Para explicar de maneira mais detalhada, a independência financeira está atrelada ao ato de viver à base de rendimentos do seu patrimônio, tais como dividendos, aluguéis e a rentabilidade de aplicações financeiras.

Não à toa, o conceito é visto como a nova aposentadoria, mas com a diferença de que pode se concretizar antes mesmo de chegar à terceira idade.

Outra forma muito simples de entender do que se trata o assunto, é pensar que quando uma pessoa se torna independente financeiramente, ela não é mais obrigada a trabalhar para que consiga se sustentar.

Afinal, seus investimentos estão rendendo “sozinhos”, sem que seja preciso fazer nenhum esforço ou manutenção. Logo, o indivíduo tem a liberdade de escolher o que fazer com seu tempo, já que tem uma vida financeira sob total controle.

Por que é benéfico ser financeiramente independente?

Embora você já possa imaginar pelo menos meia dúzia de bons motivos para correr atrás da independência financeira, vale a pena listar algumas das principais vantagens.

Confira, a seguir, as três que merecem destaque:

Mais tempo livre

Não ser “refém” do trabalho e não ter mais hora para entrar e sair da empresa e nem prazos para cumprir, por exemplo, permite que o tempo possa ser melhor aproveitado.

Você não precisa esperar o final de semana ou o feriado chegar para marcar uma viagem. 

E se for para trabalhar, você pode escolher quais projetos realmente te interessam e no que quer, de fato, investir sua energia, sem precisar se preocupar com o retorno financeiro.

Segurança e estabilidade

Outro grande ponto positivo da autonomia financeira é ter segurança e estabilidade com relação aos imprevistos da vida. E esses podem ser dos mais variados tipos, desde um celular quebrado até um problema de saúde.

Qualquer adversidade que surge de maneira inesperada acaba sendo contornada com maior facilidade, sem ter que se preocupar “com que dinheiro” vai resolver a situação.

Tranquilidade na terceira idade

Embora a lei trabalhista garanta a aposentadoria através do INSS, algumas mudanças no sistema previdenciário têm feito muita gente se questionar sobre como será seu futuro quando a velhice chegar.

Por isso, começar agora mesmo a investir em estratégias capazes de promover a liberdade financeira é uma excelente ideia! Até porque, desse modo, é possível ter maior controle sobre seus rendimentos.

Mas como se conquista a independência financeira?

Bom, para que a independência financeira seja alcançada, é primordial ter em mente que será preciso se dedicar e, mais do que isso, ser focado, perseverante e mudar alguns comportamentos.

Quando isso já estiver consolidado na sua cabeça, aí sim, é hora de começar a agir!

Acompanhe, abaixo, 5 estratégias que não podem faltar no planejamento de quem pretende se tornar financeiramente independente:

1. Organize as finanças pessoais

Sem sombras de dúvidas, o primeiro passo é organizar suas finanças pessoais, mapeando todos os seus gastos e despesas para ter clareza exata dos caminhos que seu dinheiro tem percorrido no dia a dia.

Ou seja, para onde têm ido seus ganhos? Coloque absolutamente tudo na ponta do lápis: aluguel, IPVA, IPTU, contas de água, luz, internet, mercado, tudo!

A partir daí, já será possível estabelecer um limite do quanto pode desembolsar no mês diante das suas receitas. Não se esqueça que ter uma reserva de emergência é imprescindível para quem pretende ter tranquilidade nas finanças.

2. Faça adaptações na rotina

Depois que você descobre o quanto realmente gasta, fica mais fácil entender que várias despesas podem ser cortadas. Muitas delas, inclusive, sem nem comprometer tanto assim sua qualidade de vida.

Isso significa que, apesar de cada pessoa ter sua própria realidade e muita gente no país fazer milagre com o que ganha para sobreviver, sabemos também que outro grupo consegue se “apertar” um pouquinho e evitar alguns gastos supérfluos.

Portanto, se este é o seu caso, procure economizar o quanto conseguir e priorize esse projeto que pode mudar, para melhor, seu futuro! Faça ajustes no seu padrão de vida e não gaste mais do que ganha!

3. Livre-se das dívidas 

Agora que você já sabe o quanto ganha, o quanto gasta e começa a tomar as rédeas da sua vida financeira, já é possível se organizar e colocar em dia aqueles boletos vencidos.

Analise muito bem suas possibilidades, você pode fazer um parcelamento e outros tipos de negociações para dar fim ao endividamento. Faça o que puder para evitar pedir empréstimos ou um financiamento.

Mas, se for o único jeito, é necessário não “dar o passo maior do que a perna” e procurar parcelas que caibam dentro do seu orçamento, pois o valor precisará se somar aos gastos mensais. 

Também não se esqueça dos juros que costumam ser altos!

4. Tenha metas claras e objetivas

Não deve ser novidade para você que para conseguir ter liberdade financeira é preciso se planejar e traçar metas, certo? 

Porém, tudo isso precisa ter prazos e valores estabelecidos para que se torne realmente palpável e não se confunda apenas com um sonho. 

Um bom ponto de partida é definir sua meta financeira, dividindo seus gastos anuais pelos juros reais, que são a rentabilidade líquida dos investimentos, divididos por dez. 

Veja a fórmula como fica:

Meta Financeira = Gasto Anual / Juros Reais em %

Exemplo prático

A fim de facilitar o entendimento, imagine o cenário hipotético:

  • Você gasta por mês R$ 7 mil;
  • Os juros reais do seu investimento no Tesouro Direto é igual a 5%.

De tal modo, o cálculo fica assim:

Meta Financeira = Gasto Anual / Juros Reais em %

Meta Financeira = (R$ 7.000 x 12) / (5%)

Meta Financeira = R$ 84.000 mil / (0,05)

Meta Financeira = R$ 1.680.000,00

Ou seja, nesse caso, seu patrimônio para garantir a independência financeira teria que ser igual a R$ 1.680.000,00.

5. Estude o mercado de investimentos

Por fim, a última estratégia que não pode faltar nos planos de quem deseja alcançar a independência financeira é estudar o mercado financeiro e estar por dentro de quais são os melhores ativos geradores de renda passiva.

Então, busque conhecer o seu perfil de investidor e, em seguida, monte uma carteira diversificada com investimentos em renda fixa e variável, pois isso protege seus investimentos e garante maior retorno a longo prazo.

Através desses métodos você verá seu patrimônio crescer devido ao efeito dos famosos juros compostos. Logo, quanto mais você investir no presente, maior será sua renda no futuro.

Planejamento: a chave de tudo!

Para encerrar, depois de tudo o que apresentamos, já deve estar bastante evidente que não dá para conquistar a independência financeira sem se planejar, certo? Afinal de contas, todo esse processo exige organização e estudo.

A partir daí, é possível construir um patrimônio sólido e colher os frutos dos seus rendimentos, fazendo com que eles sejam suficientes para cobrir suas despesas e proporcionar uma vida confortável e com tempo de qualidade.

Portanto, comece hoje a mesmo a se libertar! 

Estude sobre fundos de investimentos, suas variáveis e prazos de resgate e avalie qual é a melhor opção para o seu caso. Faça cálculos e conheça muito bem sua própria realidade.

Com isso, você vai ver que seu sonho pode se transformar em realidade de um jeito mais simples do que imagina!

Então, não pare de buscar informação, esse é só o primeiro passo! Leia também:

Como alugar um apartamento: o que é necessário?

Qual o custo de vida em Porto Alegre? Como economizar?

O que é coliving e quais suas vantagens?

compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

SELEÇÃO DE MORADORES

FORMULÁRIO DE INTERESSE

VALPI COLIVING

VALPI COWORKING

SHORT STAY

Olá! Seja bem-vindo ao processo de seleção do Valpi Coliving! Esse breve questionário foi elaborado para conhecermos melhor quem está interessado em morar conosco! Preencha e aguarde o contato da nossa equipe! ;)

Olá! Seja bem-vindo ao Valpi Coworking! Esse questionário foi elaborado para conhecermos melhor quem está interessado em utilizar os nossos serviços! Preencha e aguarde o contato da nossa equipe! 😉

Olá! Seja bem-vindo ao Valpi. Esse breve questionário foi elaborado para conhecermos melhor quem está interessado em passar uma temporada conosco! Preencha e aguarde o contato da nossa equipe! ;)